Acontece

Comissão Permanente de Acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da UFU

Elejam os(as) representantes!!!
Portal PROAE
23/12/2019 - 16:06 - atualizado em 07/01/2020 - 11:22

Conforme amplamente divulgado, declaramos aberto o processo de votação para eleição dos membros que comporão a Comissão Permanente de Acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da Universidade Federal de Uberlândia!!!


De acordo com o artigo 13 da Resolução CONSUN Nº 10/2019:
"Art. 13. A Comissão Permanente de Acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero será composta por representantes dos diferentes segmentos da Universidade:
I - um representante de cada Pró-Reitoria da Universidade, indicado pela respectiva Pró- Reitoria;
II - dois representantes dos estudantes eleitos por seus pares, referendados pelo Conselho Universitário;
III - dois representantes dos técnicos administrativos eleitos por seus pares, referendados pelo Conselho Universitário; e
IV - dois representantes dos docentes eleitos por seus pares, referendados pelo Conselho Universitário.
"


O período para candidaturas iniciou-se em 06/12/2019, por meio de publicação no sítio eletrônico Comunica UFU, e foi estendido até dia 18/12/2019, por meio de publicação no sítio eletrônico da PROAE. Foram inscritas 9 (nove) candidaturas, sendo 3 (três) para representação estudantil, 3 (três) para representação de técnicos administrativos e 3 (três) como docentes, sendo que 75% dos inscritos são do Campus Santa Mônica e 25% são do campus Umuarama, conforme indicado nos gráficos abaixo. Para definição da numeração de cada candidato(a) considerou-se a ordem de inscrição do(a) mesmo(a). Uma das inscrições foi considerada apta em decorrência de e-mail encaminhado a Proae comprovando problema técnico.

image.png

A votação para eleição dos membros que comporão esta Comissão Permanente será realizada DO DIA 23/12/2019 ATÉ O DIA 17/01/2020. Todo o processo estará disponível aqui no sítio eletrônico da PROAE. Lembramos a comunidade acadêmica que cada segmento DEVERÁ VOTAR EM UM DE SEUS PARES, ou seja, professor vota em professor, discente vota em discente e técnico vota em técnico, para que seu voto não seja invalidado.



ESTUDANTES deverão votar clicando aqui :

Candidatura 1 - Max Pereira Ziller
Candidatura 2 - Pâmela Alves Magalhães 
Candidatura 3 - Luis Felipe Nunes Reis



TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS deverão votar clicando aqui :

Candidatura 1 - Ricardo Francisco Nogueira Vilarinho
Candidatura 2 - Taciana Cecília Ramos
Candidatura 3 - Guilherme Augusto da Silva Gomes



DOCENTES deverão votar clicando aqui :

Candidatura 1 - Emerson Fernando Rasera
Candidatura 2 - Fabio Figueiredo Camargo
Candidatura 3 - Elenita Pinheiro de Queiroz Silva




Sobre as candidaturas:

 

ESTUDANTES


Candidatura 1 - Max Pereira Ziller

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6874187072729332

Discente de Sistemas de Informação. Membro das diretorias do Diretório Acadêmico da Computação, Diretório Central dos Estudantes e Atlética da Computação. Relator do projeto que aprovou a Política de Diversidade Sexual da UFU.

JUSTIFICATIVA: Além do conhecimento burocrático do funcionamento da UFU e do histórico de militância na pautas estudantil e LGBT, pedi vista deste processo em específico para criação desta política para reescrevê-lo e defendê-lo no Conselho Universitário e, portanto, tenho conhecimento de como ela deve funcionar.


Candidatura 2 - Pâmela Alves Magalhães

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6842791287572143

Meu nome é Pâmela Alves, tenho 21 anos e ingressei na UFU em 2017-1 no curso de Psicologia. Foi membro do Colegiado da Escola Estadual Gregoriano Canedo em 2015-2016. Realizou uma iniciação científica em 2018 intitulada "Arte e processos de escolarização do Ensino Médio-contribuições da Psicologia Escolar" junto a professora orientadora Silvia Maria Cintra da Silva. É atualmente diretora de pesquisa na Liga de Nutrição e Saúde Coletiva, desde 2019-1. Atual presidente do Diretório Acadêmico de Psicologia desde 2019-2. Atual representante discente no Núcleo Docente Estruturante do curso de Psicologia desde 2019-2.

JUSTIFICATIVA: Eu, Pâmela Alves Magalhães, estudante do curso de Psicologia desde 2017, sou mulher cis e bissexual. Apesar da minha idade, sou presidente atual do diretório acadêmico da Psicologia, representante discente do NDE do meu curso e membro da empresa júnior Consulpsi! Ao ser um representante você é como um estandarte, uma via que ergue bandeiras e, em todo lugar que me presto a ir, não há duvidas de quais bandeiras levanto: a da luta feminista e LGBTQI+ e, em especial, nos últimos anos, da saúde mental.
Venho por meio desta, demonstrar meu interesse e determinação para com o cargo de Representante Discente da Comissão Permanente de Acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da Universidade Federal de Uberlândia. Representante do Núcleo Docente Estruturante, eleita no segundo semestre de 2019, me coloco à disposição para envolvimento com o âmbito estudantil e acolhimento ao universitário em todos os ambientes! Tendo em vista a situação atual do nosso país com crescimento significativo de partidos de extrema direita, é de grande importância que haja o máximo possível de representação discente nos órgãos estruturantes da UFU! Ao pensar em medidas que afirmem a estada de alunos é necessário que nossos ambientes garantam o respeito, a diversidade, mas, acima de tudo a dignidade humana. Tenho como objetivo esclarecer e facilitar de todas as formas possíveis, o canal de comunicação entre a estrutura da Universidade e seus estudantes, além de proporcionar adaptações que visam sempre o progresso da Universidade
O processo de desenvolvimento de medidas que favorecem o crescimento de grupos minoritários como mulheres e a comunidade LGBT é impossibilitado caso não haja uma conexão efetiva entre professores, técnicos e seus discentes, uma vez que todos dividimos o mesmo lugar. Existem muitas questões as quais trazem desconforto aos estudantes (seja por motivos administrativos ou falta de informação), seja por falta de representatividade nos lugares que garantem as tomadas de decisão. Dessa forma, meus objetivos, caso eleita focam na defesa do interesse dos alunos, propondo, junto a outros membros, exames e questionários que apresentem os desejos e dificuldades dos discentes de grupos minoritários (com foco no grupo algo dessa comissão) quanto aos cursos, de forma a propor iniciativas que visem atender tais demandas de maneira sempre bem analisada e estudada!
Planejo trazer proposições de mudanças que tendem ao crescimento da Universidade Federal de Uberlândia para melhorar a formação dos estudantes e, por consequência, gerar melhores profissionais, os quais possam atender às demandas da sociedade com eficiência. Uma sociedade que é, por essência, diversa e plural. Para isso, pretendo auxiliar na reflexão de propostas e resoluções gerais para a universidade, com disposição para debater e pensar em conjunto auxiliando na tomada de decisões corretas e assertivas.
Espero que, caso seja eleita, possa atender ao público discente neste Conselho de forma digna e abrangente, buscando mudanças que tragam benefícios desde curto até longo prazo, tornando a universidade um lugar mais acessível e passível de ser exercido, desenvolvendo um ambiente humanizado. Assim, a universidade poderá progredir em configurações cada vez melhores de administração, ensino e interação com o corpo docente. De tal forma, a estruturação profissional dos estudantes formados pela UFU será cada vez melhor trabalhada, impactando positivamente a Universidade e também o meio social ao qual ela serve.


Candidatura 3 - Luis Felipe Nunes Reis

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/3605369236927292

Graduando em Sistemas de Informação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Programador Analista pela Everis Brasil.

JUSTIFICATIVA: Sendo bastante ativo na minha comunidade estudantil, tenho comigo uma vontade de ser mas presente nos assuntos que diz respeito a preservação e promoção da diversidade sexual e de gênero da UFU, sendo assim me candidato a fazer parte dessa comissão para que eu possa finalmente prestar essa ajuda a minha comunidade.



TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS


Candidatura 1 - Ricardo Francisco Nogueira Vilarinho

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/0649518033173019

Técnico em Assuntos Educacionais da Divisão de Saúde - PROAE/UFU, licenciado em Letras - Português/Inglês, especialista em Língua Portuguesa e Literatura, mestre em Estudos Linguísticos, doutorando em Língua Portuguesa pela PUC/SP e advogado - OAB/MG 180.322. Tem trabalhos acadêmicos publicados e participação em eventos científicos na área de gênero. Defensor dos direitos da comunidade LGBTQ+.

JUSTIFICATIVA:  Trabalho na Universidade Federal de Uberlândia como Técnico em Assuntos Educacionais desde 2009. Tenho mais de 20 anos de experiência na área de educação tendo sido professor de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira e Direito. Já participei de várias comissões no âmbito da Universidade, tais como: CIS – Comissão Interna de Supervisão, CPA – Comissão Própria de Avaliação, dentre outras. Como advogado tenho experiência na área de Direito Civil interessando-me pela defesa dos direitos da comunidade LGBTQ+. Acredito que como membro da Comissão poderei representar meus colegas Técnicos com respeito e comprometimento na Comissão zelando pela implantação e acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da Universidade Federal de Uberlândia.


Candidatura 2 - Taciana Cecília Ramos

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4051938812175123

Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário na Atualidade pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), assistente administrativa na Prefeitura Municipal de Uberlândia no período de 2009 a 2014, técnica-administrativa em Educação lotada na Divisão de Relações Comunitárias (Divco) da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proexc) da UFU.

JUSTIFICATIVA: Gostaria de integrar a Comissão Permanente de Acompanhamento Institucional da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da UFU como representante técnica-administrativa da Proexc/UFU porque tenho estudado sobre essa temática desde a realização do meu trabalho de conclusão de curso de especialização, com foco no trabalho decente para a população LGBTI+, tenho interesse em aprofundar esse ponto em pesquisas futuras e quero relacionar isso com a minha atuação profissional na Extensão, primeiro para a realização de um serviço público mais eficiente à comunidade, depois porque essa área permite o intercâmbio de saberes da Universidade com as demandas sociais. Abordar questões de diversidade sexual e de gênero já no ambiente universitário é de extrema importância, pois reflete as lutas históricas por direitos e por acesso à cidadania plena, especialmente, de indivíduos que não se identificam com o padrão cis-heteronormativo. Acredito que posso contribuir com informações técnicas para o bom desenvolvimento dos trabalhos dessa Comissão, bem como aprender bastante com os demais membros desse grupo no processo de institucionalização dessa Política tão preciosa no âmbito da UFU.


Candidatura 3 - Guilherme Augusto da Silva Gomes

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4675829413298677

Doutorando em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), pesquisando Literatura Brasileira de temática homoerótica. Especialista em Gênero e Diversidade na Escola pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Possui Graduação em Licenciatura Plena em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Devido às pesquisas na área de gênero e sexualidade, participa de atividades ligadas a essas discussões no âmbito da Universidade e da sociedade.

JUSTIFICATIVA: Participo do Conselho Universitário e, desde a discussão da política, percebo a importância de se ter pessoas engajadas nas questões de gênero e diversidade sexual para acompanhamento da proposta. Como uma política só é efetivada a partir de sua aplicação, acredito que devido aos 6 anos de experiência com a temática e com a vivência, poderei contribuir no auxílio da construção de projetos, bem como atuar em propostas de combater as intolerâncias e violências ocorridas na UFU.Assim, coloco meu nome à apreciação de todos e todas ciente de que é de grande responsabilidade essa representação e que poderei fazê-la com dedicação.



DOCENTES

Candidatura 1 - Emerson Fernando Rasera

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4150720668977002

Emerson Fernando Rasera possui Graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1995), Aprimoramento em Promoção de Saúde na Comunidade pela Universidade de São Paulo (1997), Mestrado e Doutorado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2000, 2004), e pós-doutorado pela University of New Hampshire (EUA) (2011-2012). Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal de Uberlândia e Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Foi Coordenador do Programa de Pós-graduação em Psicologia (2008-2009). Foi Presidente da Associação Brasileira de Psicologia Social (2016/2017). É Membro do Corpo Editorial e Revisor de vários periódicos de Psicologia. Membro do Taos Institute (USA). Integrante do GT Cotidiano e Práticas Sociais da ANPEPP. Lider do Grupo de Pesquisa "Psicologia, Saúde e Construcionismo Social" (CNPQ). Desenvolve ações de cooperação com a University of New Hampshire (EUA) e NHTV Breda University of Applied Sciences (Holanda). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Processos Grupais e de Comunicação. Atua principalmente nos seguintes temas: construcionismo social, processo grupal, saúde coletiva, sexualidade.

JUSTIFICATIVA: Eu quero ser membro da Comissão de Acompanhamento da Política de Diversidade Sexual e de Gênero da UFU porque tenho acompanhado os desafios da comunidade LGLBT há muitos anos, pessoal e profissionalmente. No ensino, supervisionei estagiários no trabalho comunitário com as travestis de Uberlândia. Na pesquisa, orientei estudos que buscavam responder às necessidades dessa população. Tenho artigos e capítulos de livro sobre essa temática. Na extensão, co-coordenei o “Programa Em Cima do Salto” voltado às travestis e transexuais de nossa cidade e região. Em decorrência dessa trajetória fui nomeado como presidente da Comissão de elaboração da minuta da Resolução que estabelece a política de diversidade da UFU. Com a sua aprovação pelo CONSUN, gostaria agora de atuar como membro da Comissão de Acompanhamento. Essa comissão tem um papel fundamental na execução da política pois ela deverá monitorar a efetiva realização das ações previstas, contribuindo para dar visibilidade aos avanços conquistados bem como indicar o que ainda deve ser implementado. Acredito que minha trajetória seja um indicativo da minha dedicação e minha capacidade para o trabalho com as questões da comunidade LGBT.


Candidatura 2 - Fabio Figueiredo Camargo

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/1607535412134196

Professor da UFU desde 2012, sou pesquisador de Literatura e Homoerotismo, tendo diversos artigos publicados sobre Literatura brasileira e representação de homossexuais. Membro fundador do GT da ANPOLL Homocultura e Linguagens desde 2012, Membro do GPMLA, cuja linha de pesquisa se intitula Homocultura e Linguagens, na qual desenvolvo duas pesquisas financiadas pelo CNPQ: O sexo da palavra: cenas sexuais homoeróticas na prosa brasileira e O demônio da carne: escritores homossexuais e catolicismo no Brasil. Professor do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da UFU, tendo orientado diversos mestrados e doutorados relacionados à temática do homoerotismo.

JUSTIFICATIVA: Por atuar na área de pesquisa sobre homocultura, e por ser um dos docentes que esteve ligado à produção do documento que estabelece a Política de Diversidade Sexual e de Gênero da Universidade Federal de Uberlândia, e atuar na área para além da pesquisa, através de debates e participação junto à comunidade acadêmica no que tange às questões da população LGBTQIA+ , acredito que eu possa ser de grande ajuda à comissão desenvolvendo discussões sobre o que nos afeta, possibilitando a implementação das políticas dentro da Universidade para que a UFU seja um lugar em que as diferenças sejam respeitadas e para que as pessoas se sintam incluídas sem discriminação de gênero, classe, etnia.


Candidatura 3 -  Elenita Pinheiro de Queiroz Silva

Link currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/3140638814052182

Professora Associada 2 da Universidade Federal de Uberlândia/Faculdade de Educação. Atua na graduação e é professora do quadro permanente da Pós-Graduação em Educação (PPGED). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (2010); Mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2002); Especialista em Metodologia do Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação pela Universidade do Estado da Bahia (1977); Graduada em Biologia pela Universidade Estadual de Feira de Santana (1987). Possui experiência na área de ensino de Ciências e Biologia, atuando principalmente nos seguintes campos de pesquisa: gênero, corpo, sexualidade e educação. Desenvolve pesquisas com temas que envolvem livros didáticos, corpo, gênero, sexualidade e Educação em Ciências. Foi coordenadora do PPGED/FACED/UFU no biênio 2017-19; vice-coordenadora do GT 23 - Gênero e Sexualidade da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação nos biênios 2015-17 e 2017-19.

JUSTIFICATIVA: A minha trajetória profissional sempre esteve atrelada a um posicionamento de defesa das diferenças, de uma universidade/sociedade livre de práticas preconceituosas, discriminatórias quanto às existências dissidentes das normas de gênero e de orientação sexual. Me disponho a contribuir com a consolidação, via comissão, de uma universidade que prime por 1 - processos de produção de conhecimentos no âmbito do ensino, da pesquisa, da gestão e da extensão (educação básica, profissional e tecnológica, graduação e pós graduação stricto e lato sensu), que considerem a dimensão do gênero e da diversidade sexual como eixo fundante e estruturador de formação; 2 -  de práticas educativas e de gestão acadêmica que visem a superação de toda e qualquer forma de preconceito e discriminação de gênero e sexual, entre outras; 3 - enfrentamento de denúncias relativas a práticas de violência, discriminatórias e preconceituosas na UFU. Justifico a minha livre manifestação dado ao compromisso acadêmico-político e instituicional em defesa de uma universidade plural e ao fato de que possuo as qualificações exigidas pela Resolução nº 10/2019, que estabelece a Política de Diversidade Sexual e de Gênero da UFU.